Que toda atividade física promove o fortalecimento muscular, a gente já sabe. Mas há maneiras diferentes de alcançar esse objetivo e, de quebra, fazer as pazes com o espelho e manter a saúde em dia. Alguns preferem métodos mais intensos, outros elegem as práticas de menor impacto. Para os dois casos, cada um com suas particularidades, as sugestões são o CrossFit e o Pilates, respectivamente. Modalidades que vêm se tornando queridinhas nas academias.

A primeira é uma mistura de treinamento militar e esportes olímpicos, como ginástica artística e levantamento de peso, que acelera o metabolismo e, como consequência, ajuda a eliminar as gordurinhas extras. Aposta do engenheiro Mário Henrique Goulart, de 26 anos, que nunca foi fã das atividades convencionais.

“Já joguei basquete, futebol e também corria, mas queria algo novo. Pulei a aula experimental e já paguei por um mês direto. Gostei demais, desde o primeiro dia”, comenta. O diferencial, para ele, é malhar em grupo e cumprir os desafios propostos ao fim de cada treino. “Ter a sensação de missão cumprida, literalmente, é o que eu mais gosto”, revela.

SINAL VERMELHO

Aficionados pela adrenalina imposta pela modalidade esportiva devem ficar atentos ao alto impacto das atividades que aumenta o risco de lesões. “Não é recomendado para iniciantes ou para quem está parado, tanto em termos musculares e articulares, quanto pela coordenação”, alerta o educador físico Fernando Sander, membro do Conselho Regional de Educação Física de Minas Geras (CREF-MG).

Sócio na academia CrossFit BH, que estreou a modalidade em Minas, o instrutor Luiz Mello, ressalta que, apesar de serem realizadas em grupos de até 20 pessoas, as atividades são 100% seguras, pois se adaptam às condições de cada aluno. “Os movimentos, a intensidade e a complexidade obedecem a limitação de cada pessoa”, diz.

SEM PREOCUPAÇÃO

Por outro lado, para quem quer se exercitar sem preocupação, a opção mais recomendada é o Pilates. “O método é para todos, de crianças a idosos, já que as aulas respeitam as particularidades de cada um”, explica a fisioterapeuta Neliene Tolentino, do Studio Vis Pilates, no bairro de Lourdes.

As aulas, em turmas de até três pessoas por professor, proporcionam melhora da flexibilidade, da postura e do equilíbrio, além de aumentarem o tônus muscular e a massa magra, alternativa à monotonia das atividades de musculação, por exemplo, que, por sua vez, levam à hipertrofia muscular.

“Procurei o Pilates para combater dores na lombar, mas logo percebi que também era possível alcançar a definição muscular, melhorar a resistência e o condicionamento físico. Percebi a chegada dos resultados rapidamente. Logo nas primeiras aulas já desenvolvi a noção de consciência corporal”, comenta a advogada Gabriela Arruda Leite, de 31 anos, que faz Pilates há 1 ano e meio.