O homem que pilotava o barco que virou e deixou uma pessoa morta no Lago de Furnas, no Sul de Minas, não tinha permissão para guiar a embarcação. Além da irregularidade, o barco estava com capacidade acima do permitido, já que comportava seis pessoas, mas transportava nove no momento do acidente. Para agravar a situação, nenhum passageiro usava colete salva-vidas.

O caso ocorreu no sábado (17), no condomínio Chácara dos Lagos, localizado entre as cidades de Varginha e Três Pontas. Uma mulher de 33 anos que caiu na água se afogou. O corpo dela só foi localizado um dia depois da tragédia. Militares do Corpo de Bombeiros fizeram uma força-tarefa para achar os restos mortais da vítima, que estavam aproximadamente a 50 metros da margem e a três metros de profundidade. A mulher foi enterrada nesta segunda-feira (19), em Varginha.

O piloto foi conduzido para a delegacia da cidade, mas liberado após prestar esclarecimentos. A Polícia Civil deve abrir inquérito para apurar o caso.

O acidente

Segundo os bombeiros, a embarcação transportava quatro adultos e cinco crianças quando fez uma manobra e todos caíram na água. Populares que estavam no lago ajudaram no resgate, no entanto, a mulher não foi localizada. 

Leia mais:
Corpo de Bombeiros busca por mulher desaparecida em lago no Sul de Minas