Uma das mais lúdicas brincadeiras, que remonta à antiga China, empinar papagaios pode causar uma série de transtornos e acidentes que muitas vezes têm trágicos desfechos. Além da possibilidade de cortes e machucados pelo uso de linhas cortantes, a queda das pipas sobre a rede elétrica pode causar a interrupção no fornecimento. Nos primeiros seis meses de 2016, 280 mil pessoas já ficaram sem energia elétrica devido às consequências da queda dos brinquedos em Minas Gerais.

Com ventos mais intensos, essa época do ano é propícia para a prática. Contudo um alerta importante deve ser feito: sempre solte papagaios longe da rede elétrica e, caso ele caia sobre os fios de alta tensão, não tente recuperá-lo. Nos primeiros cinco meses do ano, segundo levantamento da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), 851 ocorrências de interrupção no fornecimento já foram registradas, 372 na região Metropolitana de Belo Horizonte.

"Papagaios soltos em espaço urbano fatalmente cairão sobre a rede elétrica. A extensão da linha a as condições do vento irão determinar até onde a pipa vai. Então ela pode não cair próximo à criança que a está soltando, mas lá na frente fatalmente ela irá encontrar a rede de alta tensão. Por isso é muito importante que não se use linhas cortantes", explica o engenheiro eletricista da Cemig, Demetrio Venicio Aguiar.

Linha chilena

Uma novidade que faz sucesso entre os empinadores de pipa é o uso da chamada "linha chilena". Ela é feita com materiais mais abrasivos do que o cerol, que normalmente usa uma mistura de vidro moído e cola, e muitas vezes condutores de eletricidade. "Além do risco do rompimento dos fios, o encontro desse tipo de linha pode levar ao choque elétrico da pessoa que está com o papagaio em mãos. Como estamos falando da rede de alta tensão, quando não ocorre o óbito, a possibilidade de sequelas graves é muito grande, com queimaduras até de terceiro grau", disse Demetrio.

Além disso,o uso das linhas cortantes é um perigo para ciclistas e motociclistas, podendo, inclusive causar a morte e cortes graves. "O risco é também para quem usa, já que podem acontecer, inclusive a perda dos dedos das mãos, como em um caso em que atendi em Belo Horizonte quando um caminhão se enrolou na linha e decepou parte da mão de um garoto", contou.

Nos últimos dois anos, foi registrado um acidente com vítima fatal, além de outros três com ferimentos graves no estado.

Além dos riscos de rompimento dos fios, ou a transformação das linhas em condutores de energias, vários acidentes acontecem quando as crianças ou adolescentes tentam recuperar os papagaios presos à rede elétrica. "Muitas vezes eles usam materiais condutores na hora de tentar retirar a pipa e acabam sofrendo uma descarga elétrica e causando curto, interrompendo o fornecimento.", diz Demetrio.

Por isso,mais uma vez, fica o alerta para nunca tentar recuperar os papagaios.Em caso de acidentes do tipo, é importante acionar imediatamente o resgate e também a Cemig, para que seja feito o restabelecimento do fornecimento de energia.

O uso de linhas cortantes,como o cerol e a linha chilena, além de representar riscos diversos é crime. Em caso de um menor apreendido, os pais responderão pela responsabilidade da ação. Em caso de fios rompidos, nunca se aproxime e acione imediatamente a Cemig para que sejam feitos os reparos.