A Polícia Militar (PM) vai apurar se o homem que teria instigado seu pit-bull a atacar outro cachorro no bairro Guarani, deixando o animal transfigurado, é um militar da corporação. Segundo testemunhas que presenciaram o ataque, ocorrido na última quarta-feira (4), o homem teria ameaçado moradores que tentaram intervir, ao dizer que é policial.

O ataque aconteceu na avenida Saramenha, no bairro Tupi, e foi registrado em vídeo pelos moradores. Nas imagens, é possível ver o pit-bull com bastante raiva, sendo instigado por seu dono, que segura a focinheira do cachorro em uma das mãos, enquanto o animal ataca o vira-lata no pescoço.

Uma testemunha, que preferiu não se identificar e presenciou os ataques, disse que foi ameaçada pelo homem, ao tentar intervir na situação.

“Ele falou que era policial e que não queria ninguém perto, filmando, aí me afastei. Ele gritava com as pessoas que tentaram falar com ele. Ficamos com medo de estar armado, fazer algo mais grave”, disse a testemunha. “Ele não é morador daqui, não. Depois, voltou, dizem que fez mais ameaças”, completou a testemunha.

O vira-lata atacado teve o rosto deformado e está sendo cuidado por moradores do bairro. Por meio de nota, a assessoria de imprensa do 13º Batalhão de Polícia Militar (BPM) informou que “está adotando medidas para confirmar a participação ou não de militares no evento em questão”. A nota ainda diz que “caso seja confirmado se tratar de um policial militar, o autor estará sujeito a medidas da legislação específica, sem prejuízo de possíveis sanções penais”.