Um homem morreu após ser baleado por um policial militar à paisana dentro de uma boate, em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, nesse domingo (22). Segundo a Polícia Militar (PM), a suspeita é que a vítima participou de um assalto ao estabelecimento. 
 
Os funcionários da boate relataram aos militares que foram surpreendidos por dois indivíduos, sendo que um deles estava armado com uma fuzil calibre 762. Após anunciar o assalto, a dupla teria levado três cordões de ouro de pessoas que estavam no local e cerca de R$ 2.300 que estavam no caixa. 
 
Após o roubo, um dos suspeitos, um jovem de 25 anos, com sete passagens pela polícia, que estava com a fuzil, se dirigiu em direção às demais pessoas presentes no local, dentre elas um policial militar de folga e à paisana. O PM teria se identificado e pedido para que o suspeito baixasse a arma. Como a ordem não teria sido obedecida, o militar atirou contra o homem. 
 
A bala atingiu o abdômen do jovem. Ele chegou a ser socorrido para a Santa Casa da cidade, onde ficou sob os cuidados médicos e escolta policial. O suspeito teve várias paradas cardiorrespiratórias, sendo feito várias tentativas de reanimá-lo, no entanto, ele veio a óbito.
 
O policial militar que baleou o homem foi levado para o 10º BPM para as providências da Polícia Judiciária Militar e foi liberado. A arma utilizada por ele, uma Pistola Taurus calibre 380, de uso particular, foi apreendida e está à disposição da Justiça.
 
Segundo a PM, os objetos e o dinheiro levados no roubo não foram recuperados. A corporação acredita que os mesmos tenham sido levado pelo outro suspeito, que conseguiu fugir do local.