A Polícia Militar apreendeu 1.720 quilos de maconha e prendeu três suspeitos de tráfico de drogas na tarde desta quinta-feira (4) em Paracatu, na Região Noroeste de Minas Gerais. A droga foi localizada na zona rural da cidade, em um sítio usado para a criação de cavalos. 

Um dos suspeitos trabalhava como caseiro no local, mas os militares acreditam que ele era responsável por vigiar a casa e a droga. Com ele os militares também apreenderam uma arma. Um empresário da cidade, dono de uma loja de pão de queijo, também foi preso suspeito de ser dono do entorpecente. O terceiro detido chegou ao local para transportar a maconha. Nenhum deles ofereceu resistência.

De acordo com o tenente-coronel Luiz Magalhães, do 45º BPM, a ação foi desencadeada após quatro meses de investigação do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). "Esta foi a primeira fase da operação e vai haver outros desdobramentos”, explicou o coronel. 

Além da grande quantidade de maconha, foram apreendidos 13 quilos de skunk.

O trio, que a princípio não revelou a origem da droga e nem onde ela seria distribuída, foi levado para a delegacia de Paracatu.