O período de compras de fim de ano terá o reforço de 551 policiais militares nas ruas de Belo Horizonte. As ações, que pretendem trazer maior segurança para a população durante a Black Friday e o Natal, terão ainda o apoio de drones, helicóptero e cavalaria. 

De acordo com a PM, a operação vai até 31 de dezembro. Serão 54 viaturas para reforçar o patrulhamento. O coronel Webster Waldin, à frente do Comando de Policiamento da Capital (CPC), listou algumas dicas de segurança para as pessoas que forem ao centro fazer compras. 

"Esperamos que façam um planejamento antes de sair de casa, evitem deixar crianças dentro de veículo, que não parem os carros em locais desertos, que não leve muito dinheiro para as compras", orientou o policial. 

Com relação ao uso do celular, um dos principais alvos dos bandidos nesta época, Waldin explica que o ideal é usar somente em último caso. "Aconselhamos que se tiver que usar, que o faça perto da Polícia Militar".

No Estado

O coronel Alexandre Magno, diretor de operações da PM, explica que os militares também estarão atentos a questões relaciondas ao combate da Covid-19.

"A mesma operação foi lançada nas 19 regiões do Estado. Cada comando regional implementa estratégias específicas de fazer o reforço do policiamento ostensivo assim como manter as medidas sanitárias visando reduzir a disseminação da pandemia do Covid-19. Nas cidades de Governador Valadares, Juiz de Fora, Contagem e Uberaba, também vamos reforçar o policiamento no pleito eleitoral do segundo turno".

Lojistas

A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL) também lançou a operação ne Natal Seguro. O presidente da entidade, Marcelo de Souza e Silva, disse que o período será uma oportunidade do lojista recuperar o prejúizo do ano devido à pandemia.

"Vamos ter três domingos podendo funcionar o comércio, aumentando o período de vendas, deixando o consumidor apto a fazer as compas com tranquilidade", afirmou.

Segundo ele, o lojista está preparado para receber o público. "Orientamos os comerciantes com relação aos cuidados sanitários, que disponibilizem o álcool em gel, não deixem acumular clientes dentro e fora da loja e exijam o uso da máscara".