Foi enterrado na manhã desta quarta-feira (6) o corpo do cabo Osías Alves de Barros, de 33 anos, morto durante a ação de uma quadrilha de roubo a bancos em Pompéu, na região Centro-Oeste de Minas, nessa terça-feira (5). Com honras militares, o corpo do policial foi sepultado sob forte comoção e homenagens dos colegas da PM e dos familiares.

O militar, além de um atendente de lanchonete, foi morto após o bando, fortemente armado e formado por cerca de 15 pessoas, invadir a cidade, explodir uma agência bancária e atirar contra o quartel da PM.

Um segundo militar, cabo Lucas Reis Rosa, de 27 anos, foi baleado duas vezes com tiros de fuzil e está internado em estado grave na UTI no Hospital João XXIII, na capital. Depois de passar por duas cirurgias, ele teve o braço direito totalmente amputado. 

Ao todo, a polícia já prendeu quatro pessoas suspeitas de participar do crime, além de apreender três armas de pressão HT, uma Toyota Hilux, que foi roubada na cidade de Perdigão; um Fiat Palio Weekend Adventure, roubado em Belo Horizonte; um Fiat Strada, uma pistola semiautomática, calibre 7,65 mm; e um bornal com vários miguelitos. 

O crime aconteceu na madrugada dessa terça-feira (5), quando a quadrilha invadiu a cidade com a intenção de assaltar o Banco do Brasil, que fica localizado no Centro de Pompéu. Em três veículos, eles se dividiram em dois grupos, sendo que um foi em direção à agência e outro rumo ao quartel da PM. O grupo que foi ao quartel tinha a intenção de trancar o local, mas foi surpreendido por policiais, que iniciaram o cerco, que acabou resultado nas mortes.

De acordo com a Polícia Militar, os trabalhos de buscas pelos demais suspeitos continuam na região mas, até o momento, ninguém além dos quatro presos nessa terça foram encontrados.

Leia mais:
Quatro vezes terror: na mesma madrugada, quadrilhas atacam bancos, deixam feridos e dois morto
Sobe para quatro os presos suspeitos de ataque a banco e assassinatos em Pompéu
Dois suspeitos de participação em ataque a banco de Pompéu são detidos pela PM
Bando fortemente armado explode agência, ataca quartel e mata policial em Pompéu