A Polícia Militar do Meio Ambiente e a Prefeitura de Leopoldina, na Zona da Mata, investigam o aparecimento de pombos pintados na cidade. O caso ganhou repercussão após as fotos das aves viralizarem nas redes sociais nesta semana, mas os primeiros registros de moradores foram feitos em novembro do ano passado.  As plumagens dos animais foram coloridas de verde, azul e vermelho.

 

A prefeitura informou que o ato criminoso não representa os moradores da cidade e que está colaborando com a polícia para tentar identificar os responsáveis. "Vale ressaltar que a Administração não compactua com atitudes que venham colocar em risco a vida de animais ou prejudicar o meio ambiente. O Executivo municipal também lamenta que este ato tenha ocorrido na cidade, que é um lugar de pessoas ordeiras e de bem".

O caso também chamou a atenção da ativista e defensora dos animais Luisa Mell. "É vergonhosa a maneira como os animais são tratados, simplesmente para atender alguma palhaçada fútil e inútil de seres humanos. A maioria das tintas são extremamente tóxicas, provocando uma série de problemas de saúde nos animais".

Segundo o sargento Maciel, comandante da Polícia de Meio Ambiente, durante o atendimento da denúncia não foi possível determinar a autoria do crime, mas foi feito um registro na delegacia de Polícia Civil. "O fato pode ensejar em maus-tratos a animais, haja vista aparentar que as aves foram tingidas, fato que pode acarretar intoxicação, sofrimento, ou até mesmo maior exposição ao ataque de predadores em virtude das cores vibrantes". 

O militar informou ainda que nesta quinta-feira (21), em patrulhamento pela área Central da cidade, os policiais avistaram um pombo de cor verde no meio da rua.

Crime

Maus-tratos é uma violência praticada contra animais e caracteriza crime previsto no art. 32 da lei 9.605/1998. A pena de detenção pode variar de três meses a um ano. A multa pode chegar a R$ 7.888,00 caso ocorra a morte do animal.