A Polícia Civil deflagrou nesta quarta-feira (29) uma operação de combate a furto, roubo e receptação de produtos farmacêuticos na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão em farmácias e casas de suspeitos em Belo Horizonte, Contagem, Esmeraldas e Ribeirão das Neves. Dois suspeitos foram detidos em flagrante e duas mulheres por meio de mandados de prisão.

A operação, batizada de “Tarja Preta”, contou com apoio do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais e da Vigilância Sanitária.

Segundo o delegado Wagner Sales, chefe do 1º Departamento de Polícia Civil em BH, as investigações começaram há seis meses, após a ocorrência de uma série de furtos a uma rede de farmácias no Centro da capital. “Foi uma ação pontual da PCMG, que atuou contra os receptadores. Agora, com o decorrer da investigação, podemos chegar a uma grande organização criminosa que age não só no furto, na região central de BH, mas também em receptadores de BH e região metropolitana”, explicou.

Entre os produtos roubados estavam medicamentos de uso controlado e outras mercadorias de alto valor. 

Operação Tarja Preta

De acordo com Sales, as suspeitas praticavam os furtos e repassavam para um receptador também na região central da cidade. Esse receptador repassava as mercadorias para outros receptadores na região metropolitana.

Na ação, foram apreendidos carros de luxo, uma moto, e diversos produtos farmacêuticos, como remédios controlados, remédios com data de validade vencida, medicamentos adulterados e cosméticos.

Pelo menos um homem, que também faria parte da quadrilha, ainda é procurado pela polícia. As investigações prosseguem para colher mais provas e identificar outros possíveis suspeitos. 

Operação Tarja Preta