Uma fiscalização conjunta da Delegacia Especializada em Defesa do Consumidor (Decon) e do Ministério Público de Minas Gerais, por meio do Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MG) resultou na aplicação de 24 notificações de irregulares em estabelecimentos comerciais suspeitos de vender produtos com preços abusivos se valendo do período de pandemia.

Os agentes visitaram 104 comércios entre eles supermercados e farmácias de Belo Horizonte e da região metropolitana entre os dias 28 de abril e seis de maio. Produtos como álcool gel e máscaras foram os que registram preços mais altos.

Segundo a delegada Sílvia Helena de Freitas Mafuz a polícia vai instaurar procedimento contra  todos os estabelecimentos autuados. “Essas ações tem sido uma ferramenta importante na proteção dos consumidores, ainda mais neste momento crítico, pois a atuação constante da PCMG e dos órgãos parceiros inibe a prática lesiva à população”.