A Polícia Civil fez na manhã desta terça-feira (23) a reconstituição do assassinato do prefeito de Naque, na região Leste do Estado. Hélio Pinto de Carvalho, de 55 anos, foi morto a tiros no dia 13 de julho, após discussão com um vereador da cidade.

A briga foi por causa de uma porteira. Os dois discutiram na zona rural do município, em um terreno que pertence à prefeitura e que faz divida com uma propriedade do vereador.

Além da PC, a Polícia Militar, o Ministério Público, o advogado do vereador e três testemunhas participaram da reconstituição. O vereador, réu confesso do assassinato, está preso em Açucena e não participou da reconstituição do crime. O advogado de defesa alegou questões de segurança. Ele disse também que o cliente agiu em legítima defesa.

Esse foi o último trabalho externo realizado pela PC antes da conclusão do inquérito, que deverá ser finalizado até a próxima quinta-feira (25).

Segundo o promotor, Igor Peixoto, o vereador deve ser denunciado por homicídio qualificado. “Na reconstituição ficou claro que, ao contrário da tese apresentada pelo suspeito, de legítima defesa e que ele teria sido injustamente agredido, ficou comprovado pelas três testemunhas oculares que ele provocou a ação. Ao contrário de ser injustamente agredido, ele virou as costas para que o prefeito desferisse alguns golpes nele, enquanto retirava a arma de sua pochete. O prefeito saiu correndo e a cerca de seis metros de distância, o vereador desferiu pelas costas, os disparos no prefeito. Ele caiu e, não contente, desferiu, como mostrou a reconstituição, outros tiros com ele caído ao solo. Realmente finalizando a ação criminosa”, explicou Peixoto.

Assista ao vídeo: