Investir na capacitação é a aposta da Polícia Civil para combater a criminalidade em Minas. Nessa sexta (22), a corporação inaugurou o Centro de Treinamento e Ação Policial (TAP) Delegado Elson Matos. “Poderemos simular abordagens em aglomerados, cumprimento de mandados e resgate de reféns”, explica o chefe da Acadepol, delegado Anderson Alcântara.

O complexo foi construído dentro da Acadepol, no bairro Gameleira, Oeste de BH. “Com esse treinamento, os policiais conseguirão um tempo de resposta melhor nas situações de risco”, destaca Alcântara. O prédio, que abrigava uma sala de aula, foi adaptado para a atividade.

O complexo abriga cômodos estreitos e compartimentos que simulam esconderijos de criminosos. “Foi construído a partir de uma parceria entre a Polícia Civil e o Banco do Brasil, que contribuiu com R$ 25 mil. A Caixa Econômica Federal cedeu o mobiliário, o circuito interno de segurança e R$ 5 mil”, afirma a chefe da Polícia Civil de Minas, Andrea Vacchiano.

VALORIZAÇÃO

Segundo a delegada, o centro de treinamento será usado por toda a corporação. “A ideia é que todos passem por esse aperfeiçoamento, para podermos identificar nossas necessidades”, diz.

As aulas serão dadas por 25 professores, coordenados pelo delegado Elson Matos. “Com o avanço da criminalidade, o policial precisa de uma resposta rápida sem que a vida dele seja colocada em risco”, reforça o chefe da Acadepol.

O centro de treinamento recebeu o nome de Elson Matos em homenagem ao serviço prestado por ele à Polícia Civil. “Já fui ferido durante o resgate de um refém. Contar com um espaço para estudar as táticas mais apropriadas garante a segurança do nosso trabalho”, disse. Todo o treinamento será filmado e analisado na Acadepol.

Reforço no efetivo deve ocorrer ainda neste ano, após cinco meses de preparação
 
A grande expectativa agora é para a nomeação dos novos investigadores da Polícia Civil de Minas. Nessa sexta, durante a solenidade na Academia de Polícia (Acadepol), a delegada-geral da corporação, Andrea Vacchiano, confirmou a nomeação dos novos servidores.

A partir de 15 fevereiro, 1.000 investigadores iniciarão as atividades no centro de treinamento.  “Após a nomeação, em etapa única, iremos dar andamento ao nosso cronograma de trabalho”, explica. Os servidores irão passar por aulas teóricas, práticas, de incursões em áreas de risco, táticas e operacionais.

“Tudo isso irá deixar o investigador preparado para as ações que vão além das investigações, mas atividades em rua e locais que requerem maior cuidado”, explica o chefe da Acadepol, delegado Anderson Alcântara.

Os investigadores serão submetidos aos treinamentos por cinco meses e a expectativa é a de que estejam em atividade ainda neste ano.

“Esses novos servidores irão preencher a demanda de todo o Estado. Para isso estamos identificando quais os locais de maior necessidade, priorizando a região metropolitana e o interior”, reforça Andrea Vacchiano.

A delegada informou ainda que está prevista para os próximos meses a nomeação dos médicos-peritos, porém a data não foi divulgada pela corporação.