A Polícia Civil de Minas Gerais busca informações sobre 60 pessoas que possam ser donas de notebooks apreendidos durante operação "Reset". Ao todo, cerca de 100 equipamentos foram resgatados pela PC e 40 vítimas já foram localizadas. Elas começaram a receber os notebooks a partir desta quarta-feira (20).

Uma dessas vítimas é Thainá Herculano, de 23 anos. Ela disse que  já estava sem esperança de encontrar o aparelho. "Eu tive o meu notebook furtado no mês de outubro do ano passado, realizei o registro do boletim de ocorrência e não estava acreditando muito que poderia ser encontrado. Graças ao trabalho e dedicação da Polícia Civil, estou recebendo o meu computador de volta. Fico muito feliz e gratificada pelo empenho", destacou.

A delegada responsável pelo caso, Fernanda Fiuza, reforçou a importância das vítimas desse tipo de crime registrarem o boletim de ocorrência. "Realizamos uma das maiores apreensões de computadores do Estado. Iremos continuar com as nossas investigações para a identificação de outros crimes e outros envolvidos. Precisamos agora encontrar as supostas vítimas destes materiais furtados para as devidas restituições. Pedimos e alertamos as pessoas para que, sempre que forem vítimas de furtos, registrem os boletins de ocorrência, para que possamos investigar e apurar as áreas com maiores índices de criminalidade",  ressaltou.

A orientação da PC é que as pessoas que tiveram o notebook furtado entre setembro e dezembro de 2018 liguem para o telefone (31) 3219-2339 ou se apresentem na delegacia da rua Conselheiro Rocha, 321, no bairro Floresta, na região Leste da capital.

Notebooks apreendidos

Cerca de 100 notebooks foram apreendidos durante a operação "Reset"

Operação Reset

Quatro pessoas já foram presas suspeitas de emvolvimento no furto de notebooks para revenda durante a operação "Reset", na última quinta-feira (14), quando foram cumpridos quatro mandados de prisão preventiva e quatro mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte e Contagem, na Região Metropolitana da capital. 

As investigações tiveram início a partir do furto de objetos que pertenciam a um músico, entre eles um notebook, que foi reconhecido em um anúncio na internet. E após aproximadamente dois meses de diligências, a equipe policial conseguiu apurar cerca de 40 ocorrências de furto, todas já qualificadas e recuperar os objetos, totalizando cerca de 100 notebooks, uma bateria eletrônica, um amplificador, uma caixa de som, dois projetores de vídeo, diversos aparelhos celulares, relógios, joias, óculos de sol, valores em espécie, inclusive moeda estrangeira, diversas folhas de cheque, dois veículos, sendo um importado de luxo com alto valor comercial.

Foram arrecadados, além dos objetos, diversos documentos falsificados, principalmente carteiras de habilitação, comprovantes de endereço e renda, entre outros. Equipamentos utilizados para a falsificação de documentos, tais como máquina plastificadora, plásticos, seladora térmica e guilhotina para corte de papel também foram apreendidos.

Segundo a delegada responsável pelo caso, Fernanda Fiuza, foi possível identificar e qualificar os integrantes de uma organização criminosa, que atuava no comércio eletrônico com a venda de equipamentos de informática e eletrônicos todos de origem ilícita. 

As investigações seguem em andamento, tendo em vista a possibilidade de haver outros envolvidos.

Leia mais:
PC recupera em lojas no Centro de BH uma tonelada de cabos e equipamentos da rede elétrica furtados
Polícia Civil investiga denúncias de abuso e assédio sexual contra tatuador de BH