Uma mulher e um homem, ambos de 28 anos, foram presos durante uma operação da Polícia Civil para estourar um laboratório de refino de cocaína em Juatuba, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. As drogas eram processadas dentro de um sítio, que foi vistoriado nessa segunda-feira (9).

No local, a polícia localizou 27 quilos de cocaína e 13 quilos de substância para mistura que, após processamento, resultaria em 40 quilos de droga para a venda. Também foram apreendidos uma prensa hidráulica, uma balança e outros materiais para o refino de cocaína.

As investigações indicaram que a mulher cuidava do sítio, enquanto o homem atuaria no transporte da droga. Ele se identifica como motorista de aplicativo.

De acordo com a Polícia Civil, o grupo criminoso utilizava o logotipo de uma marca conhecida no ramo da moda para embalar as drogas, como forma de marcar a origem do entorpecente.

“A prática de usar marcas famosas na produção e venda de drogas tem se tornado cada vez mais comum. Os traficantes utilizam logotipos como forma de atestar a qualidade da droga que comercializam e, assim, valorizar o produto no mercado”, explicou o chefe do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), Júlio Wilke.

A Polícia continuará investigando para identificar o responsável por liderar o esquema criminoso, assim como demais envolvidos.

Leia mais:
Operação conjunta do MP, Receita e polícias mira 109 alvos de sonegação em Minas e outros estados
Megaoperação tem troca de tiros e suspeito morto em Visconde do Rio Branco