Uma operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (25), em Minas Gerais, investiga uma organização criminosa especializada em tráfico interestadual de drogas e lavagem de dinheiro em várias cidades do Estado e de São Paulo.

A ação, denominada como Cáli, foi realizada pela Polícia Civil mineira, com apoio do Ministério Público do Estado (MPMG) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e cumpre 66 medidas cautelares. Entre elas, mandados de prisão temporária, de busca e apreensão e de sequestro de veículos, motos aquáticas e imóveis.

A organização criminosa investigada é seria responsável pelo transporte e venda de centenas de quilos de pasta base de cocaína para cidades de Minas Gerais, principalmente Belo Horizonte e região metropolitana. Ainda segundo as investigações, os suspeitos também utilizavam pessoas jurídicas, como uma autoescola localizada em Embu das Artes, no interior de São Paulo, e uma empresa de peças veiculares em Contagem, na Grande BH, para ocultar ou dissimular a propriedade de veículos e imóveis provenientes do narcotráfico.

No Estado paulista, os mandados estão sendo cumpridos em São Paulo, Itapecirica da Serra, Taboão da Serra e Embu das Artes. Já em Minas, nos municípios de Contagem, Esmeraldas e Mateus Leme.

O nome da operação faz referência ao Cartel de Cáli, um dos maiores cartéis de drogas do mundo, situado na região sul da Colômbia, ao redor da cidade de mesmo nome.

Leia mais: 
Operação em Minas mira grupo suspeito de oferecer vacina de forma fraudulenta ao Ministério da Saúde
Minas já registrou 82 casos de síndrome infantil associada à Covid-19; mais dois foram confirmados
Com aumento rápido de pacientes graves, Minas tem quase 2 mil pessoas à espera de leitos para Covid