A delegada Mellina Isabel Silva Clemente, responsável pelas investigações do rompimento da barragem de rejeitos em Itabirito, na região Central de Minas, deve ouvir, ainda nesta quinta-feira (18), dois supervisores da empresa Mineração Herculano. O acidente que aconteceu no dia 10 de setembro deixou dois mortos, três feridos e um desaparecido.

Um sobrevivente do deslizamento prestou depoimento nessa quarta-feira (17), mesma data em que a delegada se reuniu com representantes do Ministério Público. Um total de 15 pessoas foram ouvidas até o momento.

Buscas pelo operário desaparecido

Pelo oitavo dia consecutivo o Corpo de Bombeiros retoma as buscas pelo operador de retroescavadeira Adilson Aparecido Batista, 44 anos. A equipe foi dividia em dois grupos de oito militares que se revezarão durante os trabalhos. A operação segue de forma lenta e criteriosa por causa do risco de novos desabamentos.

Manutenção de barragem
 
A Mineração Herculano concluiu nessa segunda-feira (15), o trabalho de recuperação da erosão na barragem B3 e concluirá no decorrer desta semana o reforço do maciço da barragem. O objetivo, de acordo com a empresa, é eliminar o risco de novo rompimento. O reforço do maciço foi feito com a utilização de blocos de rocha (‘mataco’) e com material filtrante granular. A evolução da situação, segundo o corpo técnico da empresa, já está visível inclusive na água que sai da barragem, que está limpa.  
 
Ainda na segunda-feira, a equipe da Mineração recebeu a visita de técnicos da Superintendência Regional de Regularização Ambiental (Supram) e, estiveram na empresa para vistoriar as obras em andamento e ajustar providências de médio e longo prazos, como a recuperação da barragem B2 e o desassoreamento da B3. O corpo técnico da Mineração reafirmou à equipe da Supram que a situação da barragem B1, onde houve a ruptura, está acomodada.