A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira (26), três pessoas suspeitas de executarem um homem em abril deste ano no bairro Jardim Vitória, na região Nordeste de Belo Horizonte. O que motivou o crime, conforme foi apurado, é que a vítima havia "trocado de lado" na disputa entre as gangues de tráfico de drogas do aglomerado Gogó da Ema, na Região Leste da capital. 

Conforme explicou o delegado Leandro Alves, a vítima fazia parte de uma das quadrilhas mas, quando o seu líder e outros integrantes foram presos, ele passou a "trabalhar" para a gangue rival. Além disso, os suspeitos também desconfiavam que a vítima tinha envolvimento na morte do irmão do líder da quadrilha. 

A suspeita é que cerca de seis pessoas participaram da execução da vítima em abril deste ano. O crime aconteceu pouco tempo depois que a vítima deixou a prisão e, enquanto estava presa, os envolvidos planejaram o assassinato com informações obtidas com um dos presos, que monitorava a rotina da vítima. 

Embora todos os envolvidos e o homem que foi executado fossem do aglomerado Gogó da Ema, o crime foi cometido no bairro Jardim Vitória, onde a vítima passou a ficar após sair da prisão. Antes de ser surpreendido pelos suspeitos, ele estava mexendo no celular. A execução aconteceu em plena luz do dia e gerou grande impacto na comunidade local. 

Leia mais:

PM prende homem considerado maior traficante do Aglomerado da Serra
Homem é preso com 34 kg de maconha em fundo falso de carro na BR-262, na Grande BH