Um homem de 31 anos foi preso pela Polícia Civil de Minas por ser o principal suspeito de ter provocado a morte da ex-companheira, de mesma idade. De acordo com as investigações, para não deixar provas de um crime proposital, ele colidiu o carro, com a vítima dentro, com um caminhão que trafegava na contramão, em 2 de fevereiro deste ano, na BR-040, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

As investigações duraram quatro meses e o homem foi preso nessa quarta-feira (3). O suspeito confessou ter matado a mulher com quem tinha um relacionamento amoroso de três anos. 

Segundo a PC, o autor do crime era ciumento e teria descoberto uma traição da companheira. Em janeiro, a mulher terminou o relacionamento. O delegado regional em Nova Lima, Thiago Rocha Ferreira, responsável pelo caso, disse que o homem ficou inconformado e pesquisou na internet por armas e em como provocar um acidente automobilístico para causar a morte apenas do passageiro. 

"Todo esse contexto de ciúme passa a ser um contexto de ódio, onde ele começa a nutrir uma vontade de se vingar daquela situação que ele estava passando. Então ele passa a premeditar, planejar, arquitetar como ele iria ceifar a vida da vítima", destacou o delegado.

Apesar da separação, a mulher tinha bom relacionamento com a família do suspeito. Ele insistiu para que ex-companheira comparecesse ao aniversário do irmão e que a buscaria no local de trabalho no bairro Vila da Serra, também em Nova Lima.

No trajeto do local da comemoração, o casal começou uma discussão, momento em que o homem tirou o celular das mãos da ex-namorada, jogou para fora do veículo e, assim que teve a oportunidade, entrou com o carro na contramão. Ao perceber a aproximação de um caminhão, ele não desviou o veículo e, pouco antes da batida de frente, virou o volante para que a colisão acontecesse no lado do passageiro. 

A mulher morreu na hora. O homem saiu caminhando e não sofreu sequela. “O suspeito não reagiu, continuou muito frio e, quando novamente interrogado pela equipe da PCMG e, na presença da advogada, ele confessou todo o crime, a motivação e a dinâmica”, disse o delegado.

O homem foi encaminhado para o sistema prisional e deve responder pelo crime de homicídio.