Um homem que se passava por atingido pelo rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, foi preso nesta segunda-feira (17) pela Polícia Civil. De acordo com a corporação, ele afirmava possuir um terreno situado a 90 metros da área atingida pela lama de rejeitos de minérios e estava recebendo aluguel social pago pela Vale.

Ele passou a ser investigado no momento em que requeriu à Polícia Civil do município um laudo de vistoria relativo a esse terreno – mas a verdadeira dona já havia feito o mesmo pedido. A partir da investigação, verificou-se que o suspeito também teria “vendido” um terreno que não era seu e sublocado uma residência que a Vale forneceu por meio do aluguel social.

Segundo a Polícia Civil, após o anúncio de que os atingidos de Brumadinho receberiam uma indenização emergencial, “muitos oportunistas se deslocaram para a cidade, causando grandes transtornos”. A corporação não informou quantas pessoas teriam sido presas por tentar se passar por atingido na tragédia.

Leia mais:
Décima audiência de conciliação entre Vale, MP e Defensoria é realizada nesta terça