A Polícia Cívil (PC) prendeu dois suspeitos de participar do crime conhecido como "sapatinho" - extorsão mediante sequestro -, que terminou com a morte de um gerente de banco em Guaxupé, no Sul de Minas Gerais. As prisões foram realizadas nesta segunda-feira (1º). 

O crime ocorreu no dia 20 de maio. Alexandre Vieira Rodrigues, de 39 anos, era gerente do Banco do Brasil e foi assassinado por um dos assaltantes com um tiro na cabeça. Um membro da gangue também morreu após tiroteio com a polícia. 

De acordo com a PC, os suspeitos presos nesta segunda-feira são maiores de idade, moradores de Guaxupé e possuem extensa ficha criminal. Para realizar as prisões, foi montada uma operação com equipes des cidades próximas a Guaxupé e de Belo Horizonte. 

"Traçamos a rota e concluímos que eles estiveram nas cenas do crime, tanto na agência, quanto na casa do gerente, quanto no clube onde a família foi abordada", explicou o delegado Cleyson Rodrigo Brene. 

As prisões são temporárias e valem por 30 dias. Agora a polícia segue as investigações para identificar outros suspeitos.

O crime

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos renderam o gerente na tarde de 19 de maio, por volta das 17h, na sede de um clube, entre as cidades de Guaxupé e Guaranésia. O casal de caseiros do local também foi sequestrado. Todos foram levados à casa do gerente, onde a esposa e os dois filhos também foram feitos reféns. 

Por volta das 8h, enquanto parte do bando ficou na residência com a família e o casal de caseiros, outros criminosos foram com o gerente até o banco, na região central de Guaxupé. 

Cerca de 30 minutos depois, seguranças e funcionários da agência, que iam trabalhar, perceberam a movimentação estranha e acionaram a polícia. Após a chegada das viaturas, um dos criminosos atirou na vítima. Na saída, houve troca de tiros com os policiais e um dos integrantes da gangue foi baleado.

O gerente e o suspeito foram levados pelo Corpo de Bombeiros à Santa Casa de Guaxupé, mas não resistiram. A esposa e os filhos da vítima foram liberados perto do clube onde Alexandre havia sido sequestrado.