Um policial militar matou a ex-mulher, baleou o tio dela e depois tirou a própria vida em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Eles foram casados por seis anos e estavam em processo de separação.

De acordo com a Polícia Militar, desde que se separou, há dois meses, a vítima estava morando com um tio, no bairro Vila Nova Suíça.

Na tentativa de uma reconciliação, no final da manhã desta sexta-feira (4), o soldado, de 28 anos, procurou a ex para conversar e os dois começaram a discutir. O tio da jovem teria interferido na situação e acabou baleado pelo militar. O homem, de 46 anos, foi socorrido para o Hospital Nossa Senhora de Lourdes, em Nova Lima.

Em seguida, ele atirou várias vezes na mulher, que morreu no local, e se suicidou com um disparo na cabeça. 

Segundo a chefe da sala de imprensa, a PM tinha um registro de atrito verbal entre o militar e a esposa e o soldado estava passando por acompanhamento psicológico. “Ele estava sendo acompanhado ultimamente, tendo em vista o término do relacionamento. Nossa estrutura de saúde estava a disposição dela para se tratar”, informou a capitão Danúbia Lopes. 

O militar foi considerado apto para as atividades e fazia trabalhos internos na 1º Companhia Independente da PM de Nova Lima, onde era lotado, sem nenhuma restrição para o uso de arma de fogo. 

Danúbia Lopes lamentou o assassinato da jovem e informou que a corporação está prestando toda a assistência aos família dela. “A questão do feminicídio passional é complicada do ponto de vista preventivo. Tudo que podíamos fazer em relação ao militar, como o acompanhamento psicológico, foi feito”, explicou a capitão. 

A Polícia Civil esteve no local e as investigações para esclarecer o crime já foram iniciadas. Testemunhas estão sendo ouvidas para esclarecer a dinâmica do assassinato e a tentativa de homicídio.

Leia mais:
Agente penitenciário bate carro em bomba de gasolina em Uberaba; há suspeita de embriaguez
Adolescente tem o olho perfurado por tesoura após briga em Campos Altos