Os 152 centros de saúde de Belo Horizonte estão abertos neste sábado (4) para o dia D de vacinação contra a gripe. A mobilização ocorre em todo o país e, na capital mineira, as unidades ficam abertas entre 8h e 17h para atendimento à população. 

A dose de imunização é o principal meio de prevenção ao vírus influenza, que pode desencadear a gripe H1N1. Em Belo Horizonte, neste ano, uma pessoa já morreu em decorrência da doença. No centro de saúde Salgado Filho, na região Oeste da metrópole, a movimentação é grande nesta manhã. A prioridade de vacinação é para idosos com mais de 60 anos, crianças de seis meses a seis anos, gestantes, mães que tiveram o filho há 45 dias, pessoas com doenças crônicas, professores e profissionais da saúde. 

Dentro do grupo prioritário, a encarregada de produção Josiane Pereira da Fonseca, de 33 anos, está grávida de três meses e veio com a mãe, Orminda Pereira, de 60, para a imunização. 

“Eu nunca tomei, até porque não estava no grupo prioritário. Mas agora que estou grávida acho muito importante a proteção”, disse. Já Orminda se orgulha em dizer que, anualmente, toma a vacina. “Mesmo estando fora do grupo eu vinha ao centro de saúde e conseguia tomar. Acho importante porque eu não gripo e a vacina me tranquiliza”, garante a aposentada. 

Quem também veio se vacinar foi José Prado, de 70 anos. Após o neto ter contraído uma forte gripe no início deste ano, ele decidiu garantir a vacina neste sábado. “Estou com medo dessa gripe que está vindo mais forte. Antigamente não era assim. Acredito que isso é um efeito da poluição e essa quantidade grande de bactérias que a gente respira”, afirmou o aposentado. 

O secretário de saúde de Belo Horizonte, Jackson Machado, e o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira participam do dia D no centro de saúde Salgado Filho. A orientação da prefeitura da capital é de que os moradores procurem a unidade de saúde mais próxima para a vacinação.