Em protesto contra a tragédia de Brumadinho e o marco de um ano do assassinato de Marielle Franco, integrantes do Movimento Sem Terra (MST) bloquearam a passagem de um trem da Vale, nesta quinta-feira (14). A ação foi registrada em Sarzedo, cidade vizinha a Brumadinho. A composição passa diariamente pelo município carregada de minério de ferro extraído do quadrilátero ferrífero de Minas.

Conforme o MST, cerca de 400 mulheres participaram do ato com objetivo de denunciar "a violência da mineração predatória contra as mulheres; a ameaça ao abastecimento de água à população gerada pelas mineradoras e sua total irresponsabilidade ambiental, além da sonegação da previdência e o não pagamento dos impostos sobre a extração mineral".

O grupo alega que a Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), pago pelas mineradoras aos municípios para garantir a exploração, não corresponde ao desenvolvimento da região, tornando-a "dependente" de um "modelo de mineração estritamente vinculado à lógica capitalista".

Durante o ato, a Polícia Militar foi acionada e houve confronto com os manifestantes. De acordo com a corporação, não há registro de feridos.

O Hoje em Dia entrou em contato com a assessoria da Vale e aguarda retorno.

*Com Estadão Conteúdo

Leia mais:

Vale ainda não contratou empresa que formalizará pagamento emergencial a atingidos de Brumadinho

Câmara faz sessão em homenagem a vítimas e bombeiros de Brumadinho

Funcionários da Vale investigados por tragédia em Brumadinho se apresentam à polícia