Uma fila imensa se formou no início da tarde deste domingo (27), no posto Extra do Minas Shopping, na região Nordeste de Belo Horizonte. Este é o único local em Belo Horizonte onde há combustível, mas só será atendido quem já pegou senha. 

Foram distribuídas 553 senhas, sendo 200 para carros e 353 para quem estava com galões. A gasolina comum está sendo vendida a R$ 4,659. O chefe da agência nacional de petróleo em Minas Gerais, Adriano Abreu, informou que a prioridade é para veículos de serviço público, como ambulâncias, viaturas de forças de segurança e carros da BHTtrans.

Ele não quis informar a quantidade de combustível armazenado, mas informações extraoficiais dão conta de que são 40 mil litros. O combustível armazenado nos tanques será utilizado para atender a quem já pegou as senhas e aos veículos públicos. Se sobrar combustível, ficará de reserva para veículos do serviço público. 

O posto estava fechado há três meses para reforma, e abriu para que o combustível nos tanques pudesse ser utilizado. O chefe da ANP informou que a qualidade da gasolina está compatível com os padrões exigidos. 

O representante comercial Bruno Varandas, 32 anos, está com o carro parado na rua há três dias por falta de combustível. Ele veio ao shopping e, coincidentemente, viu a fila se formar. Os cinco litros de gasolina que ele comprou serão utilizados para levar o carro para a garagem de casa.

Confusão

Os ânimos ficaram exaltados por volta das 16h no posto. Algumas pessoas tentaram furar fila e isso gerou revolta em quem estava esperando há horas. 

Quando um carro do consulado da Rússia chegou e a Polícia Militar deu prioridade, muitos que estavam na fila protestaram, e a Polícia Militar utilizou gás de pimenta para dispersar a confusão.

Leia mais:
PRF não aplicou nenhuma multa autorizada pelo STF a caminhoneiros
Perda de vendas nos supermercados brasileiros já é de R$ 1,3 bilhão
Cade inclui principais líderes dos caminhoneiros em investigação