Começou a funcionar nesta terça-feira (24) o sistema de irrigação da Praça Marília de Dirceu, no Lourdes (Região Centro-Sul), que utiliza água de duas minas da região. De acordo com o presidente da Associação de Moradores e Comerciantes do bairro de Lourdes (Amalou), Jeferson Rios, o sistema foi pensado como uma alternativa à crise hídrica.

“Como estamos passando por um período de economia hídrica e sabíamos da existência dessa mina, decidimos aproveitar a água que sai dela”, disse.

O líquido que sai da mina enche a caixa d'água de dois prédios, e o que sobra é bombeado para um reservatório instalado no subsolo da praça. Em seguida, é direcionado para uma torneira e sistema de irrigação da grama da praça. A água também é utilizada para a lavagem do chão dos 600 metros quadrados da praça duas vezes por semana e pelos lavadores de carros credenciados da região.

“Por dia saem das minas cerca de mil litros de água. Quantidade que antes estava sendo desperdiçada”, completou Rios. A obra durou cerca de um mês e foi custeada pela Amalou.

No entorno da praça ainda existem outras duas nascentes e o presidente da Associação não descarta a possibilidade de também adaptá-las no futuro, caso necessário.

“Fizemos isso para dar exemplo de economia para os moradores, afinal toda gota se conta. Temos que colaborar e não deixar apenas a cargo de órgãos públicos, até mesmo para cobrar das autoridades depois. Além disso, pretendemos incentivar outras associações a fazer o mesmo”, destacou.

Água sai de mina e é utilizada para irrigação das plantas e lavagem do chão da praça. Fotos: Eugênio Moraes/ Hoje em Dia