O local que antes era admirado pelos belo-horizontinos por abrigar centenários fícus deu lugar a um cenário desolador. Desde que foi descoberta a presença de mosca branca nas árvores, praga que mata as plantas, centenas de fícus foram podados em toda a capital mineira.

Quem passa pela avenida Bernardo Monteiro, entre as avenidas Alfredo Balena e Brasil, no bairro Santa Efigênia, região Leste de Belo Horizonte, se deparará com árvores secas e galhos jogados pelo chão. Segundo a gerente de Gestão Ambiental, Márcia Mourão, somente as árvores em condições irreversíveis são podadas. 
 
Na capital, pelo menos 29 fícus, sendo 17 na avenida Bernardo Monteiro, 11 na avenida Barbacena e uma na Praça Boa Viagem já foram dectados sem risco de recuperação. Eles estão sendo cortados por técnicos da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Ainda segundo Mourão, a idade avançada das árvores pode ter contribuído para o agravamento da doença.
 
Nesta terça-feira (11), novas podas foram realizadas em algumas árvores da avenida Bernardo Monteiro para evitar o risco de quedas de galhos secos na população.
 
Tratamento
 
Para o tratamento das árvores infectadas pela mosca branca estão sendo utilizadas aplicações de óleo de nim, que é uma espécie de inseticida natural e que ataca os sistemas de reprodução e de alimentação da mosca, além de um fungo patogênico a insetos. Os dois produtos são aplicados alternativamente. 
 

fícus na bernardo monteiro

Antiga imagem da avenida Bernardo (Foto: Flávio Tavares/Hoje em Dia)