Quem vive em um imóvel alugado atualmente em Belo Horizonte está pagando, proporcionalmente, o mesmo tanto que quem era inquilino em 2008, segundo o levantamento feito na capital mineira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais (Fundação Ipead), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Conforme a pesquisa, o motivo é que nos últimos seis anos o valor dos aluguéis cresceu abaixo da inflação, registrando uma queda real desde 2014. 

Para chegar a essa conclusão, a fundação utilizou amostras das principais empresas imobiliárias da cidade, coletando as informações por meio dos sites de aluguel de imóveis.  "Trata-se de uma pesquisa que, quando comparada com outros estudos sobre o mercado de aluguéis, possui a maior série histórica de dados", garante o instituto. 

Após processar os dados, a Fundação Ipead registrou uma alta no valor da mensalidade em imóveis residenciais de 2,12% em 2017, 3,18% em 2018 e 0,96% no primeiro trimestre deste ano. Entretanto, os valores são inferiores à inflação acumulada, que foi de 3,94% em 2017, 4,59% em 2018 e 2,15% nos três primeiros meses de 2019. O mesmo aconteceu com o aluguel comercial, que, entre abril de 2018 e março de 2019 (12 meses), teve alta nominal de 2,98% e inflação de 5,81%. 

"Ao descontar dos preços médios de locação dos imóveis a inflação da capital mineira, o valor dos aluguéis residenciais apresentam uma queda real de 1,75% em 2017, de 1,25%, em 2018 e de 2,08% nos últimos 12 meses. Por sua vez, apesar de acumular alta nominal em 2018, os preços médios dos aluguéis comerciais apresentam uma queda real de 1,25% em 2017, de 1,46% em 2018 e de 2,67% no período de abril/18 até março/19", aponta a pesquisa da fundação. 

Os levantamentos indicaram ainda que, se considerado o mesmo período de 12 meses (abril de um ano até março do outro), os preços médios dos aluguéis residenciais apresentaram queda real pelo sexto ano seguido. Já no caso dos imóveis comerciais, a queda real acontece desde 2015. 

"Os valores médios de aluguéis em março de 2019 retomaram o patamar de preços praticados em abril de 2008 (132 meses atrás). Esta mesma análise, quando aplicada aos preços dos aluguéis dos imóveis comerciais, revela que os valores médios em março de 2019 retomaram o mesmo nível de preços praticados em fevereiro de 2017 (26 meses atrás)", complementa a pesquisa. 

Venda

A Fundação Ipead também fez um levantamento relativo aos preços de venda de imóveis, que também apresentaram queda real desde 2014. Já com relação aos preços de lojas, a queda real vem desde 2012, com excessão de 2017. A análise apontou ainda que os preços de venda de imóveis retornaram ao patamar de 2009, enquanto as lojas retornaram ao patamar dos preços praticados em 2004. 

Leia mais:
Inflação, medida pelo IPC-S, sobe para 0,65% em março
Inflação do aluguel é de 8,27% em 12 meses
Cemig pagou R$ 990 mil por 3 anos de camarote no Independência; no Mineirão, valor seria R$ 390 mil