Uma nova pesquisa do Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aponta que o preço do gás de cozinha em Belo Horizonte chega a variar quase 70%. O balanço foi divulgado  nesta quinta-feira (27). O estudo, realizado nesta quarta-feira, avaliou 95 revendedores e cinco distribuidores
 
A pesquisa para o botijão de gás de cozinha de 13 quilos mostra variação entre R$ 35 e R$ 59, diferença de 68,5%. Já para o  cilindro de 45 quilos, a variação é de 66,67% (de R$ 150 a R$ 250).
 
Em outubro, o Procon da ALMG fez uma pesquisa sobre o mesmo produto. A constatação é que o preço médio do botijão de 13 quilos caiu 0,35%, passando de R$ 49,94 em outubro para R$ 49,77. Já o cilindro de 45 quilos ficou 0,79% mais caro, em média (de R$ 201,21 para R$ 202,79).
 
O levantamento constatou também que a região Centro-Sul registrou a maior redução de preços para o botijão de 13 quilos: -5,91% na comparação com a pesquisa de outubro. Em compensação, o cilindro de 45 quilos encareceu 3,56%, a maior alta entre as regiões de Belo Horizonte.
 
O Procon Assembleia alerta para a importância de o consumidor verificar, ao receber o produto, a presença do lacre sobre a válvula, com a marca da empresa engarrafadora. Além disso, o cliente deve ficar atento em relação à qualidade do botijão, recusando os que estiverem enferrujados ou mesmo amassados.
 
A pesquisa completa está neste link.