Está mais barato fazer sacolão em Belo Horizonte. Isso é o que indica pesquisa do Procon Assembleia, em que os preços nesses estabelecimento ficaram 5,18% mais em conta neste mês de setembro, em comparação com o mês anterior. Dos 59 itens analisados, 48 tiveram redução em seus valores, enquanto 17 sofreram aumento.

Um dos itens que teve maior queda foi o ovo, que está custando 16,55% a menos, em média. Na análise por categoria, o Procon concluiu que os legumes ficaram 12,03% mais em conta, com destaque para a abobrinha italiana (-45,82%), a batata inglesa (-25,27%) e o pimentão verde (-23,04%).

Por outro lado, o preço do chuchu subiu 23,92%, mesmo estando em início de safra. A abóbora moranga foi outro produto que teve aumento, custando 9,9% a mais em setembro em comparação com agosto.

Redução

As verduras registraram, em média, preços 4,92% mais baixos. Nesse segmento destacam-se a alface lisa, com queda de 14,72%, a alface crespa, com -13,99%, e o almeirão, que está 10,45% mais em conta. Já as frutas ficaram, em média, 1,06% mais caras. As que sofreram maiores reajustes são a mexerica poncan (23,82%), o limão taiti (22,59%) e a laranja serra d'água (22,22%).

Em todas as oito regiões de Belo Horizonte pesquisadas houve redução média nos preços dos hortifrutigranjeiros vendidos nos sacolões. A região onde a queda foi maior é a Noroeste, com -9,86%, seguida do Barreiro, com -7,24%. O Procon Assembleia percorreu 39 estabelecimentos da capital entre os dias 12 e 13 de setembro deste ano