A Polícia Civil indiciou nesta segunda-feira (11) a prefeita de Santa Luzia, Roseli Pimentel (PSB), por homicídio duplamente qualificado do jornalista Maurício Campos Rosa, do jornal “O Grito”. A administradora municipal também responderá pelo crime de peculato – desvio de dinheiro público. O crime ocorreu em agosto de 2016, em Santa Luzia, na Grande BH.

Segundo a Polícia Civil, a prefeita teria utilizado recurso público para financiar o crime. De acordo com a corporação, dias antes do assassinato, Roseli Pimentel teria sofrido ameaças da vítima. O motivo ainda não foi esclarecido pela polícia.

A Polícia Civil informou que a morte do jornalista foi encomendada por R$ 20 mil. O recurso foi retirado da Secretaria Municipal de Saúde. Porém, a “justificativa” dada para o uso do dinheiro foi dada pela Secretaria Municipal de Educação, que declarou o uso da verba para compra de mamão para a merenda escolar.

Roseli Pimentel está presa desde a última quinta-feira (7) no Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte.

Prefeitura

Roseli Pimentel teve o mandato cassado cinco vezes e ainda estava no cargo por causa de uma liminar. Ela e o vice-prefeito, Fernando César de Almeida Nunes Rezende (PRB), são acusados de captação ou gasto ilícito de recursos financeiros na campanha eleitoral.

A reportagem procurou a defesa da prefeita, mas ninguém atendeu as ligações.

Leia mais:
Prefeita de Santa Luzia é presa suspeita de envolvimento em homicídio de jornalista