Prefeito de Coronel Fabriciano permite reabertura de comércios na cidade

Anderson Rocha
arocha@hojeemdia.com.br
26/03/2020 às 19:33.
Atualizado em 27/10/2021 às 03:06
 (Divulgação/ Facebook/ Prefeitura de C. Fabriciano)

(Divulgação/ Facebook/ Prefeitura de C. Fabriciano)

A Prefeitura de Coronel Fabriciano, no Vale do Rio Doce, decretou, nesta quinta-feira (26), que empresas de diversos setores, que estavam com atividades interrompidas como medida de controle ao coronavírus, podem voltar a funcionar se quiserem. Para tanto, o prefeito Marcos Vinícius da Silva Bizarro (PSDB) pediu que elas adotem medidas de prevenção à propagação da Covid-19, como o funcionamento restrito a metade da sua capacidade de lotação por horário.

Com o documento, podem reabrir as portas empresas do comércio, de prestação de serviço, de construção, além de indústrias, bares, restaurantes e estabelecimentos congêneres, academias e estabelecimentos de atividades religiosas. A reabertura passa a valer já nesta quinta-feira na cidade, localizada a 197 quilômetros da capital.

Para embasar sua decisão, Bizarro (que fez uma transmissão ao vivo no Facebook da prefeitura) considerou que, mesmo em momento de crise, "há a necessidade de resguardar a sobrevivência da economia local, bem como a proteção dos postos de trabalho".

O retorno às atividades, segundo o decreto, está condicionado à adoção de medidas de prevenção à propagação da doença por parte das empresas que optarem pela reabertura. Entre as medidas descritas no documento, estão o revezamento de colaboradores, uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI), funcionamento restrito a 50% (cinquenta por cento) da sua capacidade de lotação por horário e higienização periódica de todos os seus equipamentos. Veja todas aqui.

Por fim, a empresa que reabrir as portas deverá assinar um termo de responsabilização que, segundo a prefeitura, estará disponível em seu site. "O termo deverá ser afixado em local de ampla visibilidade dentro do estabelecimento", explica o decreto. A reportagem solicitou o termo, mas ainda não teve retorno.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por