Apontado como o calcanhar de Aquiles na candidatura do conjunto arquitetônico da Pampulha a patrimônio mundial, o imóvel do Iate Tênis Clube será desapropriado. Um decreto assinado pelo prefeito Marcio Lacerda será publicado nesta terça-feira (16), no Diário Oficial do Município (DOM). O anúncio foi feito nesta segunda-feira (15), em evento na Casa do Baile.
 
A apresentação contou também com a revelação de um dossiê com as últimas modificações ocorridas na região da Pampulha, a pedido da Unesco. "É uma vitória para o Brasil. Colocar um espaço deste a serviço da população", disse o presidente da Fundação Municipal de Cultura de BH, Leônidas Oliveira.
 
Projetado em 1940 como espaço de lazer e esportes, o Iate foi pensado por Niemeyer como uma grande embarcação às margens da lagoa. Porém, foi privatizado em 1961 e passou por uma série de reformas nas décadas seguintes. A desapropriação do imóvel permitirá à prefeitura demolir um anexo construído irregularmente. O valor a ser pago pela PBH não foi informado.
 
"Não há ainda uma avaliação até porque nós temos uma série de negociações a serem feitas. Há uma área ocupada que precisa ser discutida, mas o bem está declarado como patrimônio do município de Belo Horizonte", disse o secretário de Governo da PBH, Vítor Valverde. Antes de a medida ser tomada, informou o secretário, várias negociações com o clube teriam sido feitas. Ainda conforme ele, a desapropriação está oficializada após a publicação do decreto.
 
A reportagem entrou em contato com a direção do Iate Tênis Clube. O assessor de imprensa informou que uma reunião estava acontecendo na tarde desta segunda-feira. Porém, ninguém se manifestou da decisão da prefeitura até o momento.