A Secretaria de Planejamento da Prefeitura de Belo Horizonte propôs aos representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindibel) um reajuste de 5% parcelado em quatro vezes. A proposta foi feita no prédio da secretaria durante reunião com lideranças na tarde desta segunda-feira (26).

De acordo com Israel Arimar, presidente do Sindibel, os pagamentos serão feitos da seguinte maneira:

- 1% de reajuste a partir de dezembro deste ano

- 1% a partir de abril de 2016

- 1,5% em julho do ano que vem

- e por fim, mais 1,5% em dezembro de 2016

Haveria ainda um acrescimo 5% no vale-refeição o que representa R$ 0,95. Para o presidente, apesar de ser uma proposta ruim, o reajuste oferecido já é um avanço. Na terça (27), os servidores fazem assembleia na Praça da Estação, a partir das 9 horas, para decidir se mantém ou não a greve,

Relembre

Os servidores municipais de Belo Horizonte entraram em greve no início de outubro. A categoria reivindica reajuste salarial e, segundo representantes do grupo, a paralisação é por tempo indeterminado.

Conforme o Sindibel, entre os profissionais que aderiram a paralisação estão garis, engenheiros, arquitetos e fiscais. Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) e alguns centros de saúde também estão fechados. Por causa da greve vários serviços já foram comprometidos.

De acordo com o sindicato, a escala mínima de atendimento está sendo mantida nos locais de urgência e emergência, como as Unidades de Pronto Atendimento (Upas) e o Hospital Municipal Odilon Behrens, no Bairro São Cristóvão, região Noroeste da cidade.