A presidente da Copasa, Sinara Meireles, deve marcar na sexta-feira (27) uma nova data para comparecer à Assembleia Legislativa (ALMG), a convite da Comissão Extraordinária das Águas, presidida pelo deputado Iran Barbosa (PMDB). Na reunião agendada para esta quinta-feira (26), na qual Sinara era a convidada, compareceram apenas os diretores Gilson Queiroz e Rômulo Perili.

De acordo com o parlamentar, se a presidente da Copasa faltar ao próximo encontro, a ser agendado, ela será convocada pela Mesa Diretora da ALMG, podendo até ser conduzida pela polícia.

A Assembleia Legislativa quer da presidente informações sobre como a Copasa enfrenta a crise hídrica, que afeta o abastecimento de mais cem municípios. Os dados foram requisitados pelos deputados da Comissão Extraordinária das Águas, que aprovaram por unanimidade a convocação da dirigente para prestar esclarecimentos, no dia 12 de novembro, pela primeira vez. Nova data foi agendada, mas ela não compareceu.

Sinara terá de apresentar relatório detalhado sobre o fornecimento de água e sobre a captação e tratamento de esgoto em todos os municípios onde a Copasa tem a concessão desses serviços, ou seja, 635 cidades, como informa Iran Barbosa.

Nos últimos tempos, segundo o peemedebista, muitas cidades reclamaram dos serviços da Copasa e de “descumprimento de contrato”. Montes
Claros (Norte) e Pará de Minas (Centro-Oeste) até romperam os contratos com a empresa este ano. Os deputados investigam se há “racionamento velado”, disfarçado por suspensões para manutenção preventiva.

“Queremos que a Copasa apresente quais obras efetivas foram executadas e por quê são necessárias tantas interrupções no abastecimento”, adianta Barbosa.