As propostas que fazem parte do “Plano de Investimento – Pacto por Minas”, lançado pela Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), foram apresentadas, nesta terça-feira (13), ao ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Baptista Ramos, pelo presidente da entidade mineira, Flávio Roscoe. O encontro aconteceu em Brasília e o industrial estava acompanhado dos senadores mineiros Antonio Anastasia e Rodrigo Pacheco.

No documento apresentado, estão quase 30 projetos estruturantes para o Estado, como a duplicação da BR-381, o alargamento de três viadutos do Anel Rodoviário de Belo Horizonte e o investimento no metrô da capital.

O presidente da Fiemg explicou ao ministro que o plano prevê investimentos privados, que são a maior parte dos recursos, que só precisam de uma aceleração nas concessões ou mesmo nas licenças. “Esses investimentos vão melhorar a qualidade de vida dos mineiros e colaborar na retomada da economia do Estado”, pontuou.

Pelo menos R$ 44,612 bilhões deveriam ser investidos em Minas Gerais até 2025 para compensar os estragos econômicos decorrentes da desativação de empreendimentos mineradores, realizado com o objetivo de mitigar os riscos à população. Do montante, o setor privado arcaria com R$ 24,228 bilhões e o poder público, com R$ 20,384 bilhões.

Os dados foram levantados pela Fiemg, que promete montar uma força tarefa para tirar os projetos do papel. Os aportes alavancariam a economia e gerariam empregos.

Leia mais:
Fiemg, Arcelor e Ambev: grandes empresas têm mais de 300 vagas para estágio e trainee em Minas
Presidente da Fiemg defende reforma da Previdência em cidades mineiras
‘Pela indústria, não temos medo de contrariar interesses políticos’, diz presidente da Fiemg