A Agência Nacional de Mineração prorrogou, nesta sexta-feira (31), o prazo para que as mineradoras reforcem a segurança e mantenham o monitoramento diário das barragens. O alerta é válido até 10 de fevereiro, período com previsão de chuvas intensas na Região Metropolitana de Belo Horizonte e sudeste do Estado.

A orientação da ANM é para que as equipes de segurança das empresas reforcem o monitoramento diário das condições das estruturas.

Em caso de qualquer situação de anormalidade, o Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM), deverá ser acionado e o Sistema Integrado de Gestão de Segurança de Barragens (SIGBM) imediatamente informado.

O primeiro alerta foi emitido na última quinta-feira (23), abrangendo empreendimentos no Rio de Janeiro, Espírito Santo e Goiás.

Empreendimentos em Minas

Segundo a ANM, Minas tem 25 barragens em estado de alerta. São 18 em nível 1, que significa estado de prontidão e não requer a retirada de moradores das áreas de risco e nem o toque de sirenes; outras três estão em nível 2, quando sirenes são acionadas e planos de evacuação são colocados em prática; e quatro em nível 3, quando há risco iminente de rompimento. As barragens neste nível mais crítico são: B3/B4, no distrito de Macacos, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte; Forquilha I e Forquilha III, em Ouro Preto, na região Central de Minas; e Sul Superior, em Barão de Cocais, também na região Central. Todas são de propriedade da Vale.

Monitoramento

Na última sexta-feira (24), a agência lançou uma versão pública do SIGBM, antes acessível apenas para as empresas e os fiscais da ANM. A ferramenta permite o acompanhamento em tempo real de como está a situação das 816 barragens de mineração no país. Entre as informações disponíveis, estão a categoria de risco, altura, volume e método construtivo da barragem, dano potencial, entre outros.

Para realizar a consulta é necessário inserir algumas informações sobre a barragem, como nome e CNPJ da empresa, estado e município em que se localiza, tipo de rejeito armazenado, estado de conservação, se ela está inserida no Plano Nacional de Segurança de Barragem (PNSB) ou se tem Plano de Ação Emergencial (PAE). É possível também fazer comparações entre barragens por regiões, estados ou municípios, gerar gráficos, tabelas e estatísticas e até ver uma imagem da barragem.