Começa nesta sexta-feira (20) a operação "Rodovida" em Minas Gerais, da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Nesta edição, as medidas de combate à violência no trânsito se estenderão até 1º de março de 2020, englobando todo o período de festas de fim de ano, férias escolares e, também, o Carnaval. A duração da operação se deve ao fato de o período ser marcado pelo aumento de fluxo de veículos e passageiros nas estradas federais e, também, por ser uma época bastante chuvosa, o que aumenta o índice de acidentes. 

"Durante o período, a PRF terá reforços na fiscalização das rodovias federais sob sua circunscrição no Estado. As diversas ações serão realizadas com objetivo de combater práticas como embriaguez ao volante, não uso do cinto de segurança e demais dispositivos de retenção obrigatórios, além de ultrapassagens proibidas e excesso de velocidade. Além da fiscalização intensificada, atividades permanentes de educação para o trânsito serão desenvolvidas com foco nos comportamentos de risco para que a sensibilização produza mudança de comportamento e, consequentemente, um trânsito mais seguro", completa a corporação. 

fiscalização da PRF em estrada
Haverá aumento na fiscalização durante o período; medida visa reduzir o número de acidentes no período

Além disso, durante os próximos 70 dias, por medida de segurança, a PRF restringirá em algumas datas e horários específicas o tráfego de bitrens, rodotrens, treminhões, cegonheiras carregadas e veículos com cargas excedentes, que necessitem de Autorização Especial de Trânsito (AET), em rodovias federais de pista simples. As restrições ocorrerão na quarta-feira (25), das 14h às 22h, e no dia 1º no mesmo horário. "O motorista que descumprir a determinação será multado em R$ 130,16 (infração média), receberá 4 pontos na CNH e terá o veículo retido", completa a PRF. 

Dicas para uma viagem segura

Diante do período de estradas cheias, a PRF divulgou uma série de orientações para os motoristas que farão viagens neste fim de ano e começou e 2020. Confira abaixo: 

- Planejamento da viagem: o motorista deve se informar sobre as distâncias que percorrerá, condições do tempo, pontos de parada. Não deve esquecer de portar documentação pessoal e do veículo;

- Revisão preventiva: providenciar a checagem do automóvel mesmo para pequenas viagens. Pneus calibrados e em bom estado; motor revisado, com óleo e nível da água do radiador em dia. Não esquecer de verificar a presença e estado dos equipamentos de porte obrigatório, principalmente pneu estepe, macaco, triângulo e chave de roda, além dos limpadores de para-brisa e luzes do veículo;

- Pausas para descanso: o condutor deve programar paradas a cada 3 horas. Quem se expõe a muitas horas dirigindo fica sujeito ao fenômeno da “hipnose rodoviária”, na qual se mantém de olhos abertos, mas sem percepção da realidade à sua volta. Ela vem acompanhada de sonolência, perda de reflexos e de força motora;

- Período noturno: evitar circular à noite por conta do sono e da redução da visibilidade;

- Previsão do tempo: procurar se informar sobre as condições do tempo nos lugares por onde vai passar. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) disponibiliza gratuitamente informações sobre o clima no site inmet.gov.br;

- Sob neblina ou cerração: acenda as luzes de neblina, reduza a sua velocidade. Lembre-se de que nestas condições o pavimento fica úmido e escorregadio, reduzindo a aderência dos pneus;

- Durante a chuva ou com o asfalto molhado: o motorista deve diminuir a velocidade, aumentar a distância em relação ao veículo que trafega a sua frente. Assim, é possível evitar freadas bruscas que, nessas condições, elevam o risco de derrapagens e aquaplanagens; as palhetas do limpador de para-brisa precisam estar em bom estado de conservação para que a chuva afete o mínimo possível a dirigibilidade do veículo. Os faróis devem estar sempre acesos.

Leia mais:
PRF começa operação Rodovida nas estradas do país
Apreensão de maconha em Minas sobe 71% e bate recorde histórico
PRF apreende 20 araras em porta-malas de carro em João Monlevade; veja as imagens
Estradas que ligam os mineiros a seus destinos preferidos para descanso concentram 60% dos acidentes