​Neste ano, o mês de dezembro começou mais seguro para lojistas de Belo Horizonte no que diz respeito a roubos. De acordo com dados da Polícia Militar, a quantidade de assaltos aos estabelecimentos comerciais é 48% menor em relação aos primeiros 15 dias do mesmo mês de 2017. Em comparação aos últimos doze meses, a redução foi de 44% no mesmo tipo de ocorrência. Os dados foram apresentados em evento na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), na manhã desta quarta-feira (19). 

Conforme o presidente da organização em Belo Horizonte, Bruno Falci, a sensação entre os comerciantes é boa. “Nós já tínhamos a sensação de segurança melhorando mês a mês, perto do que víamos há alguns meses e anos atrás. Os números constatam isso”, afirma.

Falci afirma, porém, que um lojista que nunca foi assaltado e acaba sendo alvo pode ter a impressão de insegurança. Por outro lado pondera que aqueles que são vítimas de algum tipo de delito com mais frequência percebem a melhora. 

Entre os pontos mais procupantes e que ainda enfrentam problemas, o presidente da CDL cita áreas próximas a aglomerados, a região do Barreiro, o bairro Cidade Nova (na região Nordeste), o Padre Eustáquio (na região Noroeste), além de zonas de maior aglomeração de pessoas e volume de comércios, como o hipercentro.

Furtos

Entre os crimes menos violentos, os furtos caíram 16% em dezembro na comparação com o mesmo período de 2017. O bem mais desejado pelos criminosos ainda é o celular.

“Muitos furtos não têm como a PM fazer a prevenção, porque (a prevenção) depende de ações de autoproteção, além de grande parte deles ( os furtos) acontecerem em eventos e ambientes particulares, nos quais a segurança é privada”, explica o coronel Anderson de Oliveira, do Comando de Policiamento da Capital. 

No pós-ocorrência, conforme o coronel, o combate à receptação de celulares apreendeu mais de 14 mil aparelhos. Outros sete mil foram recuperados após furtos ou roubos.

 

Leia mais:

BH registra queda de 25% no número de homicídios, diz PM

Prisões por tráfico de drogas subiram 61% em Minas