Uma enfermeira que foi a primeira pessoa a ser vacinada contra a Covid-19 na Bahia está internada, nesta terça-feira (23), após ter contraído a doença. A profissional de saúde não havia tomado a segunda dose do imunizante.

De acordo com o governo da Bahia, a enfermeira começou a apresentar sintomas três dias antes de receber a segunda dose da vacina. Em primeiro lugar, apareceu um mal estar, seguido de febre.

Como ela necessitou de oxigênio, foi internada no Instituto Couto Maia, em Salvador - hospital público especializado em doenças infecto-contagiosas.

Conforme Ceuci Nunes, infectologista e diretora do instituto, o caso não tem nenhuma relação com algum tipo de reação adversa à vacina.

"A gente sabe que a vacina tem a proposta de duas doses. E a proteção maior da vacina vai ocorrer cerca de 20 dias depois da segunda dose, e não da primeira dose", afirmou a especialista. Segundo Ceuci, como a profissional não recebeu a segunda dose, ela ainda não estava protegida.

A infectologista ainda enfatizou que "não existe a possibilidade de nenhuma das vacinas que estão sendo aplicadas na população causar a doença". 

Ceuci Nunes também explicou que as vacinas têm eficácia comprovada para evitar casos graves da Covid-19, mas que ainda não existe confirmação de que os imunizantes possam evitar que as pessoas contraiam a forma leve do coronavírus.

Por essa razão, a infectologista ressaltou a importância que as pessoas, mesmo vacinadas, sigam usando máscara e mantendo o distanciamento social, "até que pelo menos 60% da população brasileira esteja imunizada".

Leia mais:
Novas doses da vacina contra a Covid-19 da Índia já estão na Fiocruz
Mais uma cidade mineira terá toque de recolher para conter Covid; veja quais adotaram medida extrema