Um homem de 55 anos, procurado pela Polícia Federal por crimes como assaltos a bancos, carros-fortes e explosão de caixas eletrônicos, foi preso na noite de segunda-feira (18), após tentar subornar integrantes da Polícia Militar com R$ 200 mil, na residência dele, no bairro Buritis, na região Oeste da capital. 

De acordo com a PM, uma denúncia anônima informou que o suspeito, procurado pelo crime do chamado 'Novo Cangaço' (em que quadrilhas se articulam para atacar bancos de cidades de interior), havia saído de casa e caminhava pela rua Vitório Magnavacca, portando uma mochila com dinheiro.

Era por volta das 20h quando os agentes do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) abordaram o suspeito. Ao ser revistado, foram localizados dois celulares e três documentos aparentemente falsos: uma CNH, um título de eleitor e um RG, além de cartões de crédito e um envelope contendo R$ 45 mil reais.

Os militares relataram o mandado de prisão ao homem, originário da 4ª Vara Federal de Santos (SP) e, nesse momento, foram alvo de uma tentativa de suborno por parte do foragido, que ofereceu mais um envelope, totalizando R$ 90 mil, para que não o prendessem. Segundo a PM, os agentes simulararam aceitar o valor e foram até a residência do suspeito.

No local, descobriram que o restante do dinheiro estava escondido dentro de um aparelho de ar condicionado, instalado na área de serviço do apartamento. Por fim, o homem ofereceu mais R$ 110 mil em espécie aos agentes, mas disse que precisava fazer contato telefônico com seu advogado para que ele levasse o montante.

Os militares deram voz de prisão ao homem por corrupção ativa. Ele foi levado, inicialmente, ao Ceflan 3, na avenida Sinfrônio Brochado, no Barreiro, e em seguida encaminhado para a Polícia Federal. De acordo com a PM, o homem tinha mandados de prisão expedidos na Bahia, no Rio Grande do Norte e no Mato Grosso, além de outros.

Ainda segundo a PM, o homem estava foragido desde 2013, quando foi baleado durante uma troca de tiros em Natal (RN). Na ocasião, ele conseguiu fugir do hospital onde estava internado três dias após ser atingido por disparos.