O professor de uma escola de futebol para crianças e adolescentes que funcionava dentro de um clube na região da Pampulha, em Belo Horizonte, foi condenado a 72 anos, 7 meses e 14 dias de prisão, além de 350 dias-multa pelos crimes de estupro de vulnerável, importunação sexual e exibição de mídia pornográfica. 

A decisão é da juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, da Vara Especializada em Crimes contra a Criança e o Adolescente de Belo Horizonte (Vecca).   

O homem de 56 anos cometia os abusos durante as aulas, na sua sala ou em uma mata da região. Ele masturbava crianças de 5 a 15 anos ou as forçava a masturbá-lo. O professor costumava tocar a virilha ou as nádegas dos alunos com as mãos ou o pênis. 

Em algumas situações, o condenado também exibia filmes pornográficos para as vítimas em seu próprio celular ou pelo computador do trabalho. 

Ele cooptava os menores oferecendo agrados e presentes, como meiões e chuteiras, além de dinheiro. Um dos garotos chegou a ganhar uma bolsa de estudos para participar das aulas. 

Os crimes de estupro de vulnerável foram cometidos contra duas crianças, importunação sexual contra outras três e exibição de filmes adultos a duas vítimas. 

Diante da gravidade dos crimes, a juíza negou ao homem o direito ao recurso em liberdade, para garantir que ele não cometa outros delitos. 

Leia mais:
Justiça ouve cinco menores supostamente abusados por professor de escolinha de futebol na Pampulha