O tema da redação do Enem 2019 - a democratização do acesso ao cinema no Brasil - pegou muitos candidatos de surpresa neste domingo (3). Apesar do susto inicial, os textos motivadores (que são lidos pelos estudantes antes da redação) deram uma boa base para o desenvolvimento das ideias, segundo o coordenador do Pré-Enem Promove José Eustáquio Simões. 

"Muita gente se assustou por ser um tema que não é usual. Há muito tempo não se tem um tema ligado à cultura, mas é um assunto que dá para fazer algumas defesas. A discussão para o aluno sobre o tema deveria partir da cultura mesmo. É complicado falar só do cinema, pois temos um acesso bem limitado à cultura como um todo. Poucas pessoas têm acesso ao teatro", explica o professor. 

Ele lembra que, na década de 70, existiam 3 mil salas de cinema no Brasil. Em Belo Horizonte, existiam diversos cinemas em bairros, como Floresta e Padre Eustáquio, e com preços bastante populares.

"De um tempo para cá esse número voltou a aumentar, mas a grande maioria está em shoppings. Isso acaba limitando o público, pois o valor da entrada, mesmo para quem paga meia, é alto. Isso tudo pode ter sido usado pelos alunos para montar a redação", completa Simões. 

Leia mais:
Enem traz questões sobre violência contra mulher, racismo e discurso de ódio
Enem 2019: para professores, discutir 'democratização' do cinema é fundamental
Enem 2019 pode viabilizar sonhos a estreantes e até para quem já tem diploma