A Faculdade de Medicina da UFMG confirmou, nesta segunda-feira (3), a morte do professor Pedro Raso, aos 90 anos. Membro da Academia Mineira de Medicina, o docente publicou vários estudos sobre doenças tropicais. A causa da morte, segundo a universidade, não foi informada pelos familiares.

De acordo com a instituição, o médico era emérito do Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal da Faculdade de Medicina. Ele era natural de Barbacena, na região Central de Minas, e formou-se em Medicina, na Federal em, 1954.

Raso tornou-se especialista em Anatomia Patológica e Patologia Geral e atuou intensamente no ensino e na pesquisa da área. Ele publicou mais de 120 trabalhos em revistas no Brasil e no exterior. Entre os principais temas de interesse do especialista, estavam esquistossomose, doença de Chagas, leishmaniose visceral e cutânea. Por conta da relevância dos seus estudos, Raso recebeu vários prêmios e medalhas de reconhecimento.

O professor foi vice-chefe (1975-77) e chefe (1977-1981) do Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal da Faculdade de Medicina. Era membro efetivo da Academia Mineira de Medicina (AMM), na qual ocupava a cadeira 34 desde 1989. Raso também recebeu o título de professor emérito da UFMG, também concedido pela Faculdade de Medicina de Barbacena.

Livro

Em 2010, por ocasião das comemorações do centenário da Faculdade de Medicina, Pedro Raso lançou o livro de memórias "O menino que jantava manga", no qual descreve desde suas reminiscências de infância até experiências profissionais.

Na obra, ele homenageou a instituição, "onde estudei, ensinei, aprendi, conquistei láureas e inúmeros amigos, onde vivi os melhores momentos da minha vida, da juventude à maturidade".

Leia mais:
Verba para pesquisa de vacina nacional é prioridade, diz secretário especial de Fazenda
Ibaneis amplia funcionamento do comércio e reduz toque de recolher
Visita para inspeção de veículos apreendidos que irão a leilão começa nesta segunda-feira