Professores particulares de escolas de Belo Horizonte devem fazer paralisação na próxima terça-feira (13). A categoria já foi convocada a cruzar os braços pelo Sindicato dos Professores do Estado de Minas Gerais (Sinpro Minas) no mesmo dia.
 
Segundo a assessoria do Sinpro Minas, uma possível greve será discutida durante assembleia geral da categoria, que está agendada exatamente para terça, na Associação Médica, que fica na avenida João Pinheiro, no Centro da capital mineira. O encontro, marcado para às 9 horas da manhã, tem como objetivo principal discutir os próximos passos da campanha reivindicatória 2014.
 
Os docentes reivindicam reajuste de no mínimo 10%, equiparação do piso da Educação Básica e unificação do da Educação Superior (BH/Interior), elevação de adicional extraclasse de 20% para 1/3 da jornada, alteração de adicional de quinquênio para triênio e formação continuada, sendo adicional de 10% para especialização, 15% para mestrado e 20% para doutorado. A categoria ainda exige outras melhorias em relação às condições de trabalho dos professores.
 
A última assembleia realizada pelos docentes ocorreu em 15 de abril deste ano, quando eles rejeitaram a proposta do sindicato patronal, que propõe um reajuste de 5,9%. 
 
Emiro Barbini, presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep) afirmou que ainda não foi comunicado oficialmente da paralisação, mas revelou que recebeu a notícia com estranhamento porque já está aberto um processo de negociação com a categoria. "Temos reunião marcada pra o dia 29 de maio. Foi oferecido reajuste de 6,2%, mas a proposta foi rejeitada pelos professores. Enquanto não se chega a um acordo, as escolas já adiantaram o pagamento do INPC, que é de 5,62%, já que a data base da categoria é dia 1º de abril. A convenção coletiva, assinada no ano passado, tem vigência de dois anos e todas as cláusulas estão sendo cumpridas".
 
Atualizada às 21h.