Os profissionais da Educação pública e particular de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, começarão a ser vacinados contra a Covid-19 a partir desta terça-feira (1). Os trabalhadores receberão o imunizante da AstraZeneca, produzido pela Fiocruz.

De acordo com a prefeitura, a primeira etapa da campanha é voltada para aqueles que atuam nos segmentos infantil e fundamental (até o segundo ano) com crianças de 3 a 7 anos. O serviço acontecerá em formato de drive-thru, das 9h às 15h, no Espaço Cultural, localizado na avenida José Bernardo de Barros, no bairro Alvorada. Na data, não haverá funcionamento da sala de vacinas da Policlínica.

"Para receber a dose, o profissional deverá comparecer com documento de identificação com foto, CPF, carteira de trabalho e previdência social, com especificação da função (CTPS), contracheque ou contrato de trabalho, além de declaração devidamente assinada (clique aqui)", informou, em nota.

Além dessas condições, a Secretaria Municipal de Saúde relembra que pessoas com sintomas gripais não deverão comparecer à vacinação. Segundo a pasta, elas serão imunizadas posteriormente em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou Policlínica.

Outra recomendação é que pessoas que testaram positivo para Covid-19 aguardem 30 dias, contados da data do resultado de exame PCR, para receberem a vacina. Por fim, a pessoa que recebeu qualquer outro imunizante, incluindo a de gripe, deve respeitar um intervalo de 14 dias para a aplicação do composto químico contra o novo coronavírus.

A prefeitura ainda relembrou que a vacina que os profissionais da Educação irão receber será a AstraZeneca, imunizante que é contraindicado para gestantes, puérperas e pessoas com trombofilia plaquetária, conforme orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Dessa forma, trabalhadores da área que se enquadram nesses grupos não poderão receber a dose nesse momento.

Leia mais:
Casais se reinventam para comemorarem o dia dos namorados em casa; veja algumas dicas
Pelo menos 186 cidades de Minas tiveram falta de vacinas contra Covid na última semana, diz pesquisa
Estudo da CoronaVac em Serrana mostra que pandemia pode ser controlada