O setor de ensino da Fundação Hilton Rocha também se destaca. O Programa de Residência Médica é procurado por profissionais de todo o país e até do exterior.

Mais de 200 já se tornaram especialistas pela instituição desde 2007, quando a pós-graduação voltou a ser oferecida. O curso tem duração mínima de três anos.

Depois de frequentar esse período básico, e de ser aprovado, o aluno escolhe em qual área deseja se aperfeiçoar. Há oportunidades, por exemplo, em glaucoma, retina e estrabismo, frisa Anderson Giovanni Antônio Ferreira, assistente da coordenação do curso.

A seleção dos residentes é feita anualmente. Os interessados são submetidos a avaliações curricular e de títulos. “Os ganhos não são apenas para os profissionais. Os médicos têm capacitação de qualidade, de referência. Já os pacientes, assistência adequada e humanizada”, observa Ferreira.

“A educação é importante tanto para a pessoa atendida quanto para a formação do oftalmologista. E a parceria com a Soebras foi essencial, pois por meio da nossa mantenedora incorporamos esse atendimento”, completa a diretora-geral Ariadna Muniz. 

Ela destaca, ainda, que a atual gestão inovou e, desde 2007, colocou preceptor, que é o médico coordenador, auxiliando o residente em tempo integral. “Quando eu me formei, também na fundação, não havia essa possibilidade”.

Leia mais:
Referência em Minas, Fundação Hilton Rocha soma 41 anos e 2 milhões de pacientes