Refeições em larga escala, de qualidade e a baixo custo fizeram de BH referência mundial em segurança alimentar. Nesta sexta (16), no Dia Mundial da Alimentação, políticas bem-sucedidas na capital serão apresentadas em um evento em Milão, na Itália: o Urban Food Policy Pact (Pacto pela Política Alimentar Urbana).

BH é a única cidade da América Latina a ter um representante no evento, iniciado na terça-feira passada. Será o prefeito Marcio Lacerda. Segundo o secretário-adjunto de Segurança Alimentar e Nutricional, Marcelo Lana Franco, o modelo da capital mineira é pesquisado por instituições internacionais.

Os restaurantes populares, por exemplo, receberam visitas de representantes dessas instituições no Equador, Colômbia e Holanda. Destacam-se também a merenda das escolas, as hortas comunitárias e escolares e o banco de alimentos, entre outros programas. “Temos 74 nutricionistas monitorando tudo isso”, disse Franco.

Por dia, são servidas nos restaurantes populares 11 mil refeições. A nutricionista Ângela Cristina da Silva explica que há um controle de qualidade rigoroso. “Equilibramos o cardápio, para um aporte nutricional de acordo com as necessidades das pessoas”.

As refeições nas escolas municipais de BH são complementadas com produtos colhidos de hortas criadas dentro das instituições. Atualmente, há 175 com produtos prontos para a colheita e 36 em manutenção, em etapas de preparação, como o plantio.