A Comissão dos Atingidos pela Barragem de Fundão (CABF) e a Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais farão protestos em Belo Horizonte, Mariana e São Paulo com projeções que denunciam a violação de direitos e a demora na reparação dos atingidos na tragédia que completa cinco anos nesta quinta-feira (5).

Em Mariana, na região Central de Minas Gerias, o movimento está marcado para às 18h desta quinta, na Praça Minas Gerais, em frente ao Santuário de Nossa Senhora do Carmo. No mesmo horário, uma missa em homenagem às vítimas da tragédia será celebrada na igreja.

Motivados pela pergunta “Onde você estava em 5 de novembro de 2015?”, os atingidos cobrarão das autoridades o ressarcimento dos danos causados com o rompimento da barragem da Samarco em 2015, deixando 19 mortes e milhares de pessoas sem casas e em más condições econômicas. O rastro de destruição se estendeu da região Central do Estado até o litoral do Espírito Santo. 

Dos 21 denunciados em 2016 pelo Ministério Público Federal (MPF), 15 foram excluídos da ação penal e não irão responder por nenhum crime. Cinco réus são acusados de inundação, desabamento e 12 delitos ambientais – a Justiça entendeu que ninguém poderia responder por homicídio. Eles tinham cargos gerenciais na época do desastre. Além da mineradora, também continuam rés Vale e BHP Billiton Brasil pelos mesmos crimes ambientais.

Veja os locais e horários das projeções:

Mariana

  • Praça Minas Gerais - de 18h às 19h

Belo Horizonte

  • Rua da Bahia com Tupinambás, Centro - de 18h às 19h

São Paulo

  • Rua Cubatão, 38, Vila Mariana - de 19h às 19h30
  • Rua da Consolação, 753, Centro - de 20h às 20h30 

Leia também:
'As construções estão atrasadas e a economia sofreu muito', diz prefeito de Mariana
1.825 dias de dor: para os atingidos pelo rompimento da barragem em Mariana, a tragédia é diária
Missa em homenagem às vítimas da tragédia de Mariana será transmitida on-line; Zema vai comparecer