Foi sancionada nesta sexta-feira (29) a lei 22.260, que autoriza a doação do terreno de 7,35 mil m² junto à rodoviária para a Prefeitura de Belo Horizonte para a construção de seu Centro Administrativa. A medida foi publicada nesta sexta no diário oficial do Estado.

O projeto foi aprovado no último doa 8 e é de autoria dos deputados Adalclever Lopes (PMDB), presidente da ALMG, Agostinho Patrus Filho (PV) e Tiago Ulisses (PV).  O projeto é do arquiteto Gustavo Penna e foi apresentado em 2014.

O novo Centro Administrativo será construído no terreno hoje ocupado pelo estacionamento do terminal rodoviário da capital. A previsão é de que 63 unidades administrativas (entre secretarias, fundações e autarquias) sejam transferidas para a futura sede da Prefeitura, que será erguida por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP).
 
O Centro Administrativo deverá ocupar uma área construída de aproximadamente 100.000 m², dos quais aproximadamente 14.000 m² serão destinados a acessos, estacionamentos, bicicletários e áreas externas. As áreas especiais (auditórios, salas de reuniões, área de atendimento ao público, áreas de convivência, etc.) deverão ter 8.000 m² e a área administrativa, 75.000 m².
 
O local escolhido para a construção da nova sede do Executivo Municipal, que terá capacidade para abrigar até 10 mil servidores, é estratégico. Lá estarão concentrados vários modais de transporte, como a Estação de Metrô da Lagoinha, a futura integração da linha 3 de metrô, o futuro Terminal de Integração Modal (atual rodoviária), além do BRT Move.

Leia mais

Projeto que prevê doação de terreno da rodoviária para a PBH é aprovado em segundo turno
ALMG vai intermediar discussões sobre implantação de Centro Administrativo de BH
Gustavo Penna detalha novo centro administrativo da prefeitura